(27) 99876-5489   |   (27) 3227-1313
  • Home
  • Blog
  • Conheça a Retinopatia da Prematuridade
Conheça a Retinopatia da Prematuridade

Conheça a Retinopatia da Prematuridade

A retinopatia da prematuridade (ROP) é uma doença vasoproliferativa da retina, de etiologia multifatorial, relacionada principalmente à prematuridade, oxigenioterapia prolongada e ao baixo peso ao nascer.

No Brasil, recentemente com o desenvolvimento de equipamentos modernos em UTI neonatais vem aumentando a sobrevida de RN com idades gestacionais cada vez menores e pesos de nascimento cada vez mais baixos. A falha de encaminhamento precoce e a falta de preparos de muitos oftalmologistas para fazer o diagnóstico correto e indicar o tratamento apropriado são provavelmente os fatores responsáveis pela enorme quantidade de crianças cegas anualmente por retinopatia da prematuridade, que atualmente é a segunda maior causa de cegueira em nosso país, perdendo apenas para o glaucoma congênito.

Segundo a OMS, a principal causa de cegueira no Brasil é a catarata, com aproximadamente 40% dos casos. Em seguida, aparecem como maiores causas o glaucoma com 15%, a retinopatia diabética com 7% e a cegueira na infância com 6,4%. Dentre as causas de cegueira infantil no Brasil destacam-se a toxoplasmose ocular como a principal causa (21-40%). Em seguida aparecem o glaucoma congênito (11-18%), a catarata congênita (7-19%) e a retinopatia da prematuridade com variação de 3 a 21%. As causas de cegueira variaram de acordo com a região avaliada e com nível sócio-econômico.

A organização mundial de saúde estima que existam mais de 50.000 crianças cegas por retinopatia da prematuridade no mundo. Dessas 50.000 crianças cegas no mundo, cerca de 48% (24.000) estão na América Latina. A ROP é uma das mais importantes causas de deficiência visual ou cegueira em crianças nascidas prematuramente.

Nos últimos anos, tem-se observado aumento no percentual de crianças com risco de desenvolver retinopatia em razão da introdução e aperfeiçoamento das técnicas de cuidados neonatais que permitem a sobrevivência de crianças cada vez mais prematuras, bem como avanços na atenção obstétrica, incluindo maior freqüência de gestações múltiplas em decorrência das atuais técnicas de auxílio à reprodução, bem como aumento na média da idade materna, favorecendo o aumento no nascimento de crianças prematuras.

Fonte: Rodolfo Alves Paulo de Souza et cols

Sociais responsivo

(27) 3227-1313